2d70dbf4-07f2-4005-bb9f-2d0dba8941eaÚltimo dia do encontro é marcado por reunião com líderes do continente

Foto do último dia da cúpula com os chefes de Estado e de governo do Brics, do Brics Plus e do Brics Outreach África – Foto: Foto: Cesar Itiberê/PR

O Governo do Brasil defendeu, durante a última reunião entre os chefes de Estado e de governo do Brics, que o grupo seja um “aliado no desenvolvimento da África”. O encontro reuniu, na manhã desta sexta-feira (27), os representantes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, além de líderes africanos (Brics Outreach) e de fora da região (Brics Plus).

Para o presidente da República, Michel Temer, as parcerias com o continente africano são uma prioridade permanente. “Queremos que a agenda do Brics para a África seja tão intensa quanto intensa é a ligação histórica e afetiva do Brasil com este continente”, afirmou em discurso. No caso do Brasil, as cooperações com o continente incluem ações em áreas como a tecnologia e a saúde. Uma delas é o novo centro de treinamento da Embraer, que será inaugurado em breve em Joanesburgo, capital da África do Sul. Com equipamentos de última geração, o centro formará profissionais de toda a África.

Recentemente, o País auxiliou a construção, em São Tomé e Príncipe, de um laboratório que reduzirá o tempo para o diagnóstico da tuberculose no país. Agora, a prioridade do Brasil junto aos países do Brics, é a criação do Centro de Pesquisa em Vacinas, na África do Sul. O objetivo é contribuir para a redução da dependência de fabricantes tradicionais de vacinas.

Nos últimos anos, o Brasil ainda assinou acordos de investimentos com Moçambique, Angola, Malawi e Etiópia. Em setembro do ano passado, entrou em vigor o Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e o Egito.

Além de expandir os acordos econômicos com países da África, o Brasil vai cooperar com a promoção da paz e da segurança no continente. Para isso, o País apoia a proposta da África de Sul de criar, no Brics, o Grupo de Trabalho sobre Manutenção da Paz.