.
em foco...
Angola, Brasil – África, Comércio Exterior, Diplomacia Brasileira

Apex-Brasil na principal feira de Angola

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) promoveu dez empresas na principal feira multi-sectorial do país, realizada entre os dias 26 e 30 de Julho.

O principal objectivo das empresas estrangeiras participantes, no geral, foi a necessidade de manter a presença no mercado angolano em sectores estratégicos, com perspectivas de recuperação econômica no médio e longo prazos.

Esta edição da Feira Internacional de Luanda juntou 250 expositores de Angola, África do Sul, Alemanha, Argélia, Brasil, Cuba, Estados Unidos da América, Índia, Portugal, Quénia, Suécia, Uruguai e Zâmbia.

uncNo evento, participaram empresas dos mais variados sectores de actividade económica e social, nomeadamente, telecomunicações, finanças, construção,  hotelaria e turismo, educação, agricultura e petróleo, entre outros.Os bombeiros não passaram despercebidos na  bolsa de negócios.

Os expositores da 33.ª edição da FILDA, que vinha a decorrer até ontem, na Baía de Luanda, consideraram o evento uma oportunidade ímpar que permitiu estabelecer contactos e parcerias de negócios que podem resultar em ganhos recíprocos, nos próximos dias.

Um dos expositores mostra a réplica do Palácio da Mutamba que foi uma das atracções da 33ª edição da Feira Internacional de Luanda
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

“Foi bom, a empresa Diper teve ganhos com clientes singulares e de empresas que adquiriram conhecimento do que fazemos”, afirmou a gestora Jéssica Manuela.
A empresa, proprietária de uma fábrica em Luanda, no bairro Benfica, expôs latas de tinta, pavimento, caixilharia, textura em 3 e 2 D, cozinha e máquinas de polir chão.
Até ontem, a Diper fez descontos de 25 por cento do valor total do preço de uma cozinha completa que, durante o certame, passou a custar 200 mil kwanzas. Além disso, o cliente teve direito à montagem e transporte domiciliar.
A Flora Garden, como estreante em participações na FILDA, realizou muitos negócios, principalmente com as donas de casa. Levou para a feira plantas, árvores de pequeno tamanho e flores. Não efectuou vendas, por ter trazido apenas amostras para exposição, “mas fez muitos negócios e contactos com os clientes”, afirmou o gestor de projecto e logística, António Seguro.

Positivo e Negativo

Um dos aspectos positivos da 33.ª edição da Feira Internacional de Luanda, de acordo com os expositores, foi a localização. A proximidade do evento, realizado pela primeira vez na Baixa de Luanda, contribuiu para que a exposição fosse visitada por mais pessoas, maioritariamente trabalhadores que se deslocaram ao local depois do expediente.
Pela sua localização, os expositores não tiveram os constrangimentos do passado, quando tinham de enfrentar um trânsito pesado para chegarem às instalações da FILDA, no Cazenga.

O stand dos “soldados da paz” chamou a atenção dos visitantes. Foi uma demonstração de força e tecnologia que deixou qualquer expositor confiante. Carros de combate ao fogo, motas, lanças, extintores e uniformes foram expostos na feira.
Como não há bela sem senão, a par do reduzido tempo de preparação do evento, a falha de energia, na noite do primeiro dia da exposição, constituiu uma contrariedade na eficiência da organização.
Durante o evento, empresas de vários sectores de actividade como o BPC, BNI, EMIS, Sonangol e a tecnológica ITA consagraram a sua participação na 33ª Feira Internacional de Luanda (FILDA) à apresentação de novos produtos e à inovação, como estratégias de implantação e expansão no mercado.
O Banco de Poupança e Crédito (BPC) apresentou o “Top Rendimento 16”, com uma campanha que incentiva os agentes  a pouparem recursos financeiros como forma de garantir um futuro para as famílias e as empresas.

Prémios

A empresa Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) arrebatou dois prémios na noite de sábado, durante a gala de premiação da 33ª edição da gala Feira Internacional de Luanda FILDA 2017, que decorreu no salão Paz-Flor da Endiama.
Além do galardão de ouro, com um quadro de honra, a Sonangol venceu a categoria de melhor participação do sector na Filda/2017.
Uma realização do Ministério da Economia em parceria com  a empresa Eventos Arena, o certame premiou 21 categorias em reconhecimento aos 255 expositores que apresentaram as suas empresas e produtos na feira.
O acto de entrega dos prêmios coube à ministra da Indústria, Bernarda Martins.
Os participantes foram eleitos nas categorias de melhor empresa internacional, ativação de marca, máquinas e equipamentos, banca, energias e águas, petróleos, transportes, Produtos inovadores, saúde, entidades e empresas públicas, tecnologia, indústria, entre outros.

 

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: