.
em foco...
Cabo Verde

Cabo Verde aumenta os índices de desemprego

O Secretario-geral do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) considerou, nesta sexta-feira,31, que o aumento do desemprego de 12,4% em 2015 para 15% em 2016 – um aumento de cerca de 3% num único ano somando mais 9.356 novos desempregados – resulta de um grande desalinhamento entre os compromissos eleitorais assumidos pelo Governo do MpD e as soluções apresentadas aos cabo-verdianos.

Desemprego sobe para 15%: PAICV diz resultar do desalinhamento entre as promessas e soluções do Governo

Julião Varela regia assim, em conferência de imprensa realizada na Praia, na sequência dos últimos dados estatísticos divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas de Cabo Verde sobre a matéria. Para o político, os números apresentados pelo INECV confirmam, de forma categórica, a degradação dos indicadores relacionados com o nível de ocupação das pessoas em todas as faixas etárias e em todos os estratos sociais. “De uma análise muito rápida dos dados do inquérito de 2016, constatamos que o número de desempregados em 2016 aumentou em 9.356 indivíduos, comparativamente ao ano de 2015, o que significa dizer que ao longo dos últimos anos, a taxa de desemprego passou de 12,4% para 15%, um aumento de mais de 3% num único ano”, aponta.

De acordo com o PAICV, esses dados apresentados «demonstram um grande desalinhamento entre os compromissos eleitorais assumidos pelo Governo e as soluções apresentadas» para fazer face à real situação da população, que espera, “desesperadamente”, uma ocupação para garantir acesso a rendimentos para a satisfação das necessidades da sua família.

“Para a camada juvenil com idade compreendida entre os 18 e 24 anos, a taxa do desemprego aumentou de 28.6 % para 41%, sendo de 48,7% para jovens da faixa entre 15 e 19 anos e 48,7% para os de 20 a 24 anos de idade”, precisa o politico.

Com relação ao emprego qualificado, Julião Varela aponta o dedo ao Governo, dizendo que não fica bem na fotografia com o expressivo aumento registado neste segmento social. “Constata-se um aumento do desemprego dos jovens com o ensino secundário de 16.3% em 2015 para 20.2% em 2016. O mesmo acontece em relação aos jovens com o pós-secundário, onde se regista uma subida 11.2% para 20.7%”, enumera.

Preocupado com as políticas públicas para as mulheres cabo-verdianas, o PAICV garante que a situação também piorou, passando a taxa de desemprego na camada feminina de 11.2% para 17.6%, o que, para este partido da oposição, facilmente se reflecte na situação familiar.

Subida do desemprego nas regiões e sectores públicos.

Segundo Julião Varela, que é também deputado do partido tambarina, o aumento da taxa de desemprego em Cabo Verde atinge não só os jovens as mulheres, mas reflecte também no sector da Administração Pública, defesa e segurança social, “onde a taxa de empregabilidade sofreu uma redução de 10,2% para 8,3%.

Ao nível das regiões, Varela enuncia que há um forte subida do desemprego nos principais centros urbanos, tomando como exemplos, os Concelhos da Praia, São Vicente e Santa Catarina de Santiago com registos de 15,7% para 22,1%; de 14,3% para 16%, e de 10,3 para 19%, respectivamente.

Diante desses novos números do INE, o PAICV conclui que esta situação é preocupante e dá indicações “claras” ao Governo para corrigir o rumo e ajustar os passos, com vista à materialização das soluções e dos compromissos que assumiu durante a campanha eleitoral para melhorar as condições de vida dos cabo-verdianos.

Celso Lobo

http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article124109&ak=1

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: