.
em foco...
PALOP, Política

Moçambique: A paz é, sem dúvida, condição “sine qua non”, para o desenvolvimento

frelimo-e-renamo-640x361O partido Frelimo assegurou, semana finda, que as teses ao seu 11.º congresso, agendado para Setembro deste ano, irão reflectir sobre as preocupações do povo e corporizar o próximo Programa Quinquenal do Governo, em caso de vitória eleitoral.

Falando em conferência de imprensa alusiva ao Dia dos Heróis Moçambicanos, o porta-voz da Frelimo, António Niquice, afirmou que as estruturas do partido, a todos os níveis, estão a auscultar as populações de todo o país, visando formular propostas de teses ao próximo congresso da organização, agendado para 26 de Setembro a 01 de Outubro.

“No congresso, vamos aprofundar as teses que irão reflectir as preocupações do povo moçambicano, de modo a que integrem o programa da Frelimo para o próximo quinquénio”, declarou o porta-voz do partido no poder, aludindo ao programa do Governo que sair das eleições gerais de 2019.

O desenvolvimento social e económico, combate à pobreza e preservação da paz e da unidade nacional serão os temas centrais das teses do partido a levar ao 11.º congresso, acrescentou António Niquice.

“A paz é, sem dúvidas, condição ‘‘sine qua non’’ para que o país se concentre nas tarefas de desenvolvimento, nomeadamente a produção agrícola, circulação de pessoas e bens e educação das nossas crianças”, realçou António Niquice.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: