.
em foco...
Angola, PALOP

Angola busca apoios para eleição na União Africana

Bissau – Uma missiva do ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Chikoti, foi entregue hoje, quarta-feira, em Bissau, ao ministro dos Negócios Estrangeiros, da Cooperação Internacional e das Comunidades da Guiné-Bissau, Jorge Malú, no âmbito das candidaturas de Angola para a União Africana (UA).

DANIEL ANTÓNIO ROSA – EMBAIXADOR DE ANGOLA NA GUINÉ-BISSAU

FOTO: CORTESIA DE DAVID MARIO

Foi portador da missiva o Embaixador da República de Angola na Guiné-Bissau, Daniel Rosa, durante um encontro de aproximadamente uma hora realizado na sede dos Palácio do Governo local.

Na carta, a República de Angola solicita o apoio do Governo da Guiné-Bissau a favor dos dois candidatos angolanos para os cargos propostos no âmbito das eleições dos membros da Comissão da União Africana durante a 28ª sessão Ordinária da Conferência de Chefes de Estado e de Governo da UA, a decorrer em Addis Abeba, Etiópia, de 22 a 31 do corrente mês.

Angola apresentou as candidaturas do Embaixador Tete António e da engenheira Joseja Sacko para os cargos, respectivamente, de Comissário para os Assuntos Políticos, e de Comissária para a Economia Rural e Agricultura da UA.

Na carta, o chefe da diplomacia angolana destaca a ampla experiência profissional destes dois quadros angolanos, nos sectores público e privado, incluindo o desempenho de funções relevantes na União Africana e outras organizações regionais.

Realça igualmente a determinação em fortalecer a capacidade da UA, priorizar a prevenção na busca da paz e materializar os objectivos da Agenda 2063 de desenvolvimento, como fundamentos para se apostar nas duas candidaturas.
O Embaixador Tete António é economista e é desde 2009 representante permanente da UA junto das Nações Unidas. Já exerceu, entre outros, os cargos de Conselheiro diplomático do presidente da Comissão da UA, em Addis Abeba, e Representante adjunto da Missão Permanente de Angola nas Nações Unidas.
A engenheira Josefa Sacko tem como destaques no seu curriculum o cargo de secretária da Organização Inter-Africana do Café (2000-2013), representante da vice-presidente da Organização Pan-africana da Mulher para África Austral, e exerceu cargos de alta responsabilidade em organizações regionais e internacionais ligadas a segurança alimentar, ao clima e desenvolvimento sustentável.
Por sua vez, o chefe da diplomacia guineense congratulou-se com a iniciativa de Angola porque “gostaria de ter no âmbito da UA representantes da CPLP”, pelo que garantiu trabalhar para apoiar a candidatura de Angola aos cargos propostos.
Com o mesmo fim, o representante diplomático de Angola na Guiné-Bissau, Daniel Rosa, entregou, terça-feira, ao embaixador do Senegal neste país, Bakary Seck, uma carta do Ministro Georges Chikoti endereçada ao seu homólogo senegalês, Mankeur Ndiaye.
O diplomata senegalês agradeceu e elogiou a iniciativa da República de Angola e garantiu que vai remeter ao Governo do seu país o pedido formulado pelas autoridades angolanas.

http://cdn1.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/noticias/politica/2017/0/3/Bissau-Angola-busca-apoios-para-eleicao-Uniao-Africana,ab469040-10f7-4307-a634-edf76ae811bf.html

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: