.
em foco...
Brasil – África, Oeste Africano, Política

Nigéria implementa seu primeiro sistema de ajuda social para os mais pobres

‘Lagos – O Presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, decidiu esta terça-feira, em Lagos, implementar uma das suas promessas eleitorais, ao atribuir uma ajuda financeira mensal aos mais pobres e aos mais vulneráveis, uma ideia que começa a tornar-se padrão comum em África, noticiou a AFP. Diversas missões  diplomáticas nigerianas estiveram no Brasil para conhecer os programas sociais.

MUHAMMADU BUHARI – PRESIDENTE DA NIGÉRIA

FOTO: ERIC PIERMONT

A partir desta data até final de 2017, um milhão de Nigerianos receberão 5.000 nairas por mês (cerca de 25 dólares), através de uma conta bancária especificamente aberta para esta ajuda.

O número de beneficiários deverá aumentar para cinco milhões de pessoas até 2021.

O governo espera que com esta ajuda, os beneficiários poderão comprar alguns animais, enviar os filhos para a escola e criar um pequeno comércio, explicou Mariam Uwais, conselheira especial da Presidência para as questões sociais.

A primeira fase custará cerca de três mil milhões de dólares americanos, em três anos, e o Banco Mundial que supervisiona o processo de selecção dos beneficiários e enquadra o projecto, financiou 500 milhões de dólares, que devem ser aprovados pelo Parlamento nigeriano.

Em 2015, o vice-presidente da Nigéria, Yemi Osinbajo, calculou em 110 milhões o número de Nigerianos que não teriam estabilidade em termos de alimentação, saúde, e educação.

Na Nigéria, o salário mínimo é equivalente a 54 Euros, muito baixo em relação ao custo de vida no país.

O Banco Mundial encoraja este tipo de programas em pelo menos 30 países africanos, para aumentar o consumo, o uso dos serviços de Saúde e da Educação, permitindo também aos mais pobres enfrentar os choques económicos, segundo, Funke Olufon.

Segundo as previsões do BM, na Côte D’Ivoire, aonde 58 porcento da população vive na pobreza, mas que apresenta mais 7,8 porcento de crescimento, em 2016), está em curso um programa similar.

A partir do final de Janeiro, cinco mil lares pobres do meio rural deverão ganhar trimestralmente 36 mil F CFA (55 Euros), até  2020, uma ajuda que deverá atingir 35 mil lares.

No Senegal, estão em curso alguns programas. Em 2017, pelo menos 300 mil lares beneficiarão de bolsas alocadas pelo Estado, num valor estimado em 25 mil F CFA (38 Euros) por trimestre, indicou o delegado geral da Protecção social e Solidariedade nacional, Anta Sarr Diacko, o que representa 2 porcento da população.

http://cdn1.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2017/0/2/Nigeria-Governo-implementa-seu-primeiro-sistema-ajuda-social-para-mais-pobres,9c1de5bb-98b6-4ec5-93be-28728e9830f3.html

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: