.
em foco...
Angola, Economia

Israel está presente na agricultura e na pesca em Angola

israel

Israel tem já uma presença marcante na agricultura em Angola, mas afirmou que a cooperação pode crescer, com o envolvimento do setor empresarial do seu país. Um dos exemplos de realce do envolvimento israelita é o projeto agrícola da Quiminha, localizado a cerca de 70 quilômetros de Luanda.

israel

O projeto foi iniciado em 2012, comportando uma área de cinco mil hectares entre as comunas de Cabiri e Bom Jesus, localizadas a cerca de 60 quilômetros a Norte de Luanda.

Quiminha.jpg

A cada família de camponeses serão atribuídos 3 hectares de terra para cultivo, sendo que na primeira fase do projeto se deverá produzir cerca de 40 mil toneladas de produtos.

Para o fim da segunda fase prevê- se que se produzam cerca de 100 toneladas/ano.

Além da produção agrícola, preconiza-se a produção de 22 milhões de ovos.

Jose EduardoHá também uma Estação de Captação de Água, escolas, creche, e um reservatório de água, com capacidade de cerca de 300 mil metros cúbicos e esteve no centro logístico.
O projeto é desenvolvido pela israelita Tahal, que está entre as 100 maiores companhias de engenharia do mundo na área dos recursos hídricos e abastecimento de água, desenvolvimento agrícola e comercialização. A companhia trabalha ainda na engenharia ambiental, civil e infra-estrutura, industrial e energia, reabilitação de sistemas de água e esgotos, além de sistemas de informação geográfica.
O projeto Quiminha dispõe já de 300 casas e explorações agrícolas particulares, cada com uma área equivalente a um campo de futebol, além de um centro agrícola e de logística para o processamento e empacotamento dos produtos agrícolas, aviários para a produção de pelo menos 24 milhões de ovos por ano e instalações relacionadas.
Desenvolvido de acordo com o modelo de cooperativa agrícola estabelecido pelo Centro para a Cooperação Internacional do Ministério das Relações Exteriores de Israel  (MASHAV), o projeto Quiminha prevê, dentro de cinco anos, atingir uma produção anual de 60 mil toneladas de produtos agrícolas, que devem ser vendidos no mercado interno e proporcionar uma faturação anual de 52 milhões de dólares.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: