.
em foco...
PALOP, Política

Movimento “Bassoura di Povo” protesta contra a pobreza extrema em Guiné Bissau

.jomavgbissauglobal

O Presidente guineense José Mário Vaz mandou impedir nesta terça-feira, 22, a marcha do movimento de cidadãos “Bassoura di Povo”, prevista para realizar-se na capital do país.

A concentração, que estava prevista para acontecer perto da sede do Governo, acabou por ser interrompida, depois de um grupo de polícias ter ordenado a dispersão dos protagonistas da manifestação por “ordens superiores”.

Os ativistas querem um novo quadro político, com “uma nova ordem politica e social no país”, segundo dizem.

 

Os líderes do movimento garantem que “não vão desarmar”, até que as suas revindicações sejam atendidas, ou seja, “romper com o sistema, através de uma rutura com o atual quadro político e instaurar uma nova ordem política e social no país”.

Uma exigência considerada por muitos como radical, mas que, na perspetiva do Movimento, é a única saída plausível para tirar o país das crónicas instabilidades políticas e pobreza extrema do povo guineense.

Entretanto, o primeiro-ministro nomeado por José Mário Vaz desdobra-se em contactos com diferentes formações politicas, com vista à formação do Governo.

Umaro Sissossoko reúne-se hoje com o PRS, segundo partido mais votado em 2014 e que sustentava o Governo de Baciro Djá, demitido por Vaz.

http://www.voaportugues.com/a/marcha-impedida-em-bissau/3606802.html

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: