.
em foco...
Angola

Argentina quer apoio do Governo de Angola

download (1)
A ministra das Relações Exteriores da Argentina, Suzana Malcorra, está desde ontem em Luanda, para pedir apoio de Angola para a sua candidatura ao cargo de secretária-geral da Organização das Nações Unidas.
 
Suzana Malcorra analisa hoje com o seu homólogo Georges Chikoti a cooperação multilateral e bilateral. Antes, a diplomata procede à deposição de uma coroa de flores no Memorial Dr. António Agostinho Neto.
De 62 anos, Suzana Malcorra é um dos 11 candidatos ao posto de secretário-geral da ONU, depois da desistência da candidata da Croácia, a antiga ministra dos Negócios Estrangeiros e vice-primeira-ministra Vesna Pusic. As outras senhoras na corrida são a antiga primeira-ministra da Nova Zelândia e administradora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Helen Clark, a antiga ministra dos Negócios Estrangeiros e vice-primeira-ministra da Moldávia, Natália Gherman, e a secretária da Convenção das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, a costa-riquenha Christiana Figueres.
A indicação pelo Conselho de Segurança à Assembleia-Geral de um candidato requer, pelo menos, nove votos a favor, incluindo os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança (China, França, Estados Unidos, Grã-Bretanha e Rússia).
Funcionária sénior da Organização das Nações Unidas desde 2004, Suzana Malcorra actuou como directora de Operações e vice-directora executiva do Programa Alimentar Mundial (PAM), onde foi encarregada de emergências em vários países.
No mês passado, esteve em Angola, com o mesmo propósito, a antiga chefe do Governo da Nova Zelândia, Helen Clark. A diplomata foi recebida pelo Vice-Presidente da República, e teve encontros de trabalho com o ministro das Relações Exteriores, Georges Chikoti, e com o secretário de Estado Manuel Augusto. A visita de Clark ocorreu 48 horas após um outro candidato à substituição de Ban Ki-moon, o vice-primeiro ministro da Eslováquia, Miroslav Lajcak, ter passado por Luanda também em busca de apoios. Em Março, o antigo primeiro-ministro português António Guterres também esteve em Luanda a solicitar o apoio do Governo de Angola.
Entre os candidatos, estão o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da Macedónia, Srgjan Kerim, o também antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da Eslovénia e embaixador na Organização das Nações Unidas, Danilo Turk, o sérvio Vuk Jeremic, presidente do Centro para as Relações Internacionais e o Desenvolvimento, que também foi ministro dos Negócios Estrangeiros e presidente da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas, o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da Eslováquia e representante especial da União Europeia, Miroslav Lajcák, e o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, das Finanças e vice-primeiro-ministro de Montenegro, Igor Luksic.
 
Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: