.
em foco...
PALOP

Estabelecimentos hoteleiros de Cabo Verde recebem mais de trezentos e vinte mil hóspedes

cabo verde linda.jpg

O número de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros do país foi de 323.096, o que corresponde a um aumento de 13,9% face ao trimestre homólogo, informa o Instituto Nacional de Estatística. Estes dados referem que no mesmo período, as dormidas cresceram 16,5%. O Reino Unido foi o principal país de proveniência de turistas. Os turistas ingleses foram os que permaneceram mais tempo em Cabo Verde, com uma média de 9,7 noites. A ilha do Sal foi a mais procurada, representando cerca de 51,4% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros.

Estabelecimentos hoteleiros de Cabo Verde recebem mais de  trezentos e vinte mil hóspedes

Os dados acumulados no período de Janeiro a Junho de 2016, mostram que os estabelecimentos hoteleiros registaram 323.096 hóspedes e cerca de 2,0 milhões de dormidas, movimentos que se traduzem em acréscimos nas entradas e nas dormidas de 15,9% e 14,0% respectivamente, face ao semestre homólogo.

No segundo trimestre de 2016, os estabelecimentos hoteleiros acolheram 132.443 hóspedes, mais 13,9% do que no período homólogo do ano anterior. Em termos absolutos, entraram nos estabelecimentos hoteleiros mais 16.159 turistas do que em igual período do ano transacto. As dormidas atingiram 869.434 no mesmo período, traduzindo-se numa variação positiva de 16,5%, em relação ao 2º trimestre de 2015. Em termos absolutos, houve um aumento de 123. 010 dormidas.

Os hotéis continuam sendo os estabelecimentos mais procurados, representando 84,4% do total das entradas. Seguem-se os aldeamentos turísticos ( 6,2%) e as residenciais (4,1%). Relativamente às dormidas, os hotéis representam 91,4%, os aldeamentos turísticos 3,3% e as residenciais 2,0%, como se depreende do gráfico a seguir.

A Ilha do Sal continua a ter maior acolhimento, com 46,6% do total das entradas, seguido da ilha da Boa Vista, com 30,8% e de Santiago com 12,1%. Em relação às dormidas, a ordem é a mesma. A ilha do Sal aparece em primeiro lugar com 51,4%, a seguir, Boa Vista com 39,6% e Santiago, com 3,8%.

Reino Unido principal emissor de turistas

Os residentes em Cabo Verde totalizaram cerca de 7,7% das entradas e 3,3% das dormidas. Mas o principal mercado emissor de turistas, neste trimestre, continua sendo o Reino Unido com 22,9% do total das entradas.

A seguir vêm, Portugal (11,9%) Alemanha (11,0% ) e França( 9,1%). Relativamente às dormidas, o Reino Unido também permanece no primeiro lugar com 34,4% do total, seguido de Alemanha(14,0%) Bélgica-Holanda ou Países-Baixos (11,5%) e Portugal (9,2%).

A maioria dos turistas provenientes do Reino Unido preferiu como destinos as ilhas do Sal e da Boa Vista, representando, respectivamente, 53,5% e 46,1% das dormidas e escolheram como local de acolhimento os hotéis, 99,6%.

Os de Alemanha escolheram também, como destino principal a ilha da Boa Vista (52,2%),em seguida a do Sal, representando, 43,1% das dormidas. Preferiram, também, os hotéis como o principal meio de alojamento, representando 95,3%.

As dormidas dos residentes em Portugal distribuíram-se principalmente pelas Ilhas do Sal(52,7%), Boavista (29,8%) e Santiago (12,6%). Os hotéis foram os tipos de estabelecimentos mais procurados pelos portugueses (96,5%).

Os visitantes provenientes do Reino Unido tiveram maior permanência média em Cabo Verde (9,7 noites). A seguir estão os provenientes dos Países Baixos (8,6 noites), da Alemanha (8,1), e da França com permanência de 5,3 noites. Os Cabo-verdianos residentes permaneceram, em média, 2,5 noites nos estabelecimentos hoteleiros.

Durante o segundo trimestre de 2016, em média, a taxa de ocupação-cama, a nível geral, foi de 45%, contra os 39% registados no trimestre homólogo. As ilhas da Boavista e do Sal tiveram as maiores taxas de ocupação – cama com 68% e 47%, respectivamente.

Os hotéis foram os estabelecimentos hoteleiros com maior taxa de ocupação – cama, 52%. Seguem-se os aldeamentos turísticos com 32%, as pousadas, os hotéis-apartamentos e as residenciais, todos com 17%.

http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article120195

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: