.
em foco...
PALOP

Guiné-Bissau: PRS exorta presidente do parlamento a deixar de lado agenda política dos partidos

joaquim Batista Correia
Bissau – O PRS, segunda força mais votada nas ultimas eleições na Guiné-Bissau, mas que Governa o país atualmente, exortou terça-feira o presidente do Parlamento guineense a deixar de lado a agenda política dos partidos e promover o interesse nacional, noticiou a Lusa.
A exortação do Partido da Renovação Social (PRS) foi feita por Joaquim Batista Correia e Martina Moniz, dois dirigentes e deputados dos renovadores numa audiência que mantiveram com Cipriano Cassamá para a busca de uma saída para a crise que se assiste no Parlamento guineense.

O Parlamento guineense regista uma situação de bloqueio com o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), vencedor das eleições mas arredado do poder, a colocar uma série de exigências para voltar a tomar parte nos trabalhos parlamentares.

Entre as exigências, o PAIGC pede a libertação do deputado Gabriel Sow, detido por ordem judicial, a exoneração do Procurador-Geral da República e ainda a clarificação da situação de 15 deputados da sua bancada expulsos do partido.

Esta situação tem levado a que o presidente do Parlamento, Cipriano Cassamá, não tenha conseguido marcar uma data para a discussão do programa do Governo do primeiro-ministro, Baciro Djá.

Para o PRS “não se trata de qualquer bloqueio” mas sim de “tentativa de obstaculizar a acção do Governo” por parte do PAIGC, uma situação que o partido pede ao presidente do Parlamento “para não caucionar”.

“O presidente do Parlamento não pode aceitar a agenda de qualquer partido político mas sim deve privilegiar o interesse nacional”, disse Baptista Correia, referindo-se a Cipriano Cassamá, que é dirigente do PAIGC.

O PRS quer então que Cipriano Cassamá convoque a plenária do Parlamento para que o programa do Governo possa ser discutido e votado tal como já fizera no passado, defendeu Baptista Correia.

A dirigente Martina Moniz disse que o PRS “lamenta a prisão do deputado Gabriel Sow”, sabendo-se que este foi detido sem que lhe tenha sido retirada imunidade parlamentar, mas não concorda que o facto possa servir de motivo para bloquear o funcionamento do Parlamento.

Na segunda-feira, o presidente do Parlamento guineense reuniu-se com uma delegação do PAIGC.

http://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2016/7/32/Guine-Bissau-PRS-exorta-presidente-parlamento-deixar-lado-agenda-politica-dos-partidos,8c7ec498-c0f3-4dd9-9432-174cfd9b55ca.html

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: