.
em foco...
Angola, Economia

Filho do presidente da FIESP faz parcerias em Angola

Fotografia: Fernando Camilo | sumbe

Uma delegação de empresários brasileiros da indústria de transformação e comercialização do café está desde ontem no Cuanza Sul, para identificar a oportunidade de formar parcerias com os produtores locais, que viabilizem o estabelecimento de um comércio bilateral do grão.

 

A missão brasileira, liderada pelo empresário André Skafe, manteve um encontro com o governador do Cuanza Sul, Eusébio Teixeira, e com os administradores dos municípios produtores de café, Amboim, Seles, Conda, Libolo, Cassongue e Mussende, para apresentar um plano de intenções que vai determinar o estabelecimento de  parcerias.
André Skafe, responsável de uma das maiores empresas ligadas ao café no Brasil, a Skafe Trade, disse que a presença da delegação no Cuanza Sul tem como base informações sobre as potencialidades da província na produção do café e manifestou optimismo quanto ao estabelecimento de parcerias com produtores locais.

skaf

skaf
“Viemos numa visita exploratória e com dados sobre as potencialidades da província na produção do café. Pensamos que, no final, vamos encontrar vias que nos conduzam ao estabelecimento de parcerias e desenvolver negócios”, disse.
O governador do Cuanza Sul garantiu que a província sai a ganhar com o estabelecimento de novas parcerias com empresas brasileiras, com  enfoque nos domínios da produção, transformação e comercialização do café, dentro e fora do país.
“Com a visita de empresários brasileiros ligados ao café, abre-se uma nova era em prol da cultura do café na província. Identificamos como áreas prioritárias os segmentos de produção em larga escala, transformação e comercialização do café”, indicou Eusébio Teixeira.
O governador apontou à missão brasileira que os produtores de café na província precisam de apoio em instrumentos de trabalho, fertilizantes e pesticidas e outros inputs. O actual paradigma da produção de café em muitas localidades da província necessita de um novo modelo, visto que muitas áreas de produção se encontram em terrenos acidentados.
“Temos de pensar no cultivo do café no sistema mecanizado. Por isso, o plantio deve incidir em terrenos planos para facilitar o sistema de mecanização”, afirmou Eusébio Teixeira.
A missão reuniu-se com as autoridades e produtores do café no município do Amboim, onde auscultou os problemas e desafios em torno do relançamento do cultivo. Ontem,  visitaram a comuna da Amboiva, no município do Seles, onde se está a implantar um polígono com 11 naves para a produção de dez milhões de mudas de café, no quadro do programa do Governo Provincial de relançamento da produção do café.

 

http://jornaldeangola.sapo.ao/economia/brasileiros_fazem_parcerias_no_cuanza_sul

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: