.
em foco...
PALOP, União Africana

Guiné-Bissau ressalva benefícios do Passaporte Africano

mediaSoares Sambú, ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-BissauCristiana Soares/RFI

Segundo dia da 29ª sessão do Conselho Executivo da União Africana a decorrer em Kigali, Ruanda. Um encontro dominado pelas questões de defesa e segurança e pelo orçamento da organização continental.

As delegações discutiram, ainda, questões como o processo Hissène Habré. O ex-presidente do Chade que foi julgado e condenado, no Senegal, a prisão perpétua. Uma condenação do Tribunal Especial Africano, criado em 2013 pela União Africana.

Na agenda das delegações está igualmente a eleição do novo presidente da Comissão da União Africana, uma questão delicada pela ausência de um nome consensual. Na corrida ao posto estão três candidatos: Pelomoni Venson-Moitoi, do Botswana; Agapito Mba Mokuy, da Guiné Equatorial e Specioza Naigaga Wandira Kazibwe, do Uganda.

A 27ª cimeira de chefes de Estado tem início previsto no próximo domingo e vai, igualmente, lançar o passaporte africano, que visa facilitar a circulação de pessoas, bens e serviços entre os estados membros.

A participar na cimeira está uma delegação da Guiné-Bissau, chefiada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Soares Sambú, com quem falamos sobre a política interna guineense e os temas em discussão nesta cimeira.

 http://pt.rfi.fr/guine-bissau/20160714-guine-bissau-ressalva-beneficios-do-passaporte-africano
Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: