.
em foco...
Economia, PALOP, Política

Visita de Primeiro Ministro indiano a Moçambique prevê acordo nas áreas agrícola e da aviação civil

Visita de PM indiano a Moçambique prevê acordo nas áreas agrícola e da aviação civil

Moçambique e Índia deverão assinar dois acordos nos domínios agrícola e alimentar e também da aviação civil, no âmbito da visita do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, na quinta-feira a Maputo, avança a imprensa de Nova Deli.

Nova Deli, 06 jul (Lusa) – Moçambique e Índia deverão assinar dois acordos nos domínios agrícola e alimentar e também da aviação civil, no âmbito da visita do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, na quinta-feira a Maputo, avança hoje a imprensa de Nova Deli.

Segundo o jornal Times of India, o Executivo de Nova Deli aprovou na terça-feira um memorando de entendimento para a produção de leguminosas a ser apresentado às autoridades moçambicanas e que prevê apoio a Moçambique na obtenção de sementes de qualidade, melhoria das técnicas agrícola, bem como a aquisição de toda a produção alcançada ao abrigo do acordo.

O jornal cita o Alto Comissariado da Índia em Moçambique, referindo que a visita de Modi deverá ser igualmente marcada pelo aprofundamento da cooperação entre os dois países nas áreas de hidrocarbonetos, segurança marítima, comércio e investimento.

A deslocação de Modi, a primeira de um primeiro-ministro da Índia a Moçambique em 34 anos, prevê reuniões ao mais alto nível com as autoridades moçambicanas, nomeadamente com o chefe de Estado, Filipe Nyusi, uma visita ao parlamento e um encontro com a diáspora indiana em Maputo.

De acordo com um comunicado da Presidência moçambicana enviado à Lusa, esta deslocação surge em resposta ao convite formulado por Filipe Nyusi quando realizou uma visita de Estado à Índia no ano passado.

A Índia mantém vários interesses em Moçambique, em concreto participações de duas empresas indianas no bloco de exploração de gás natural liderado pela Anadarko, na bacia do Rovuma, e produção de carvão na província de Tete.

Apesar de várias operadoras indianas terem a sua produção suspensa em Moçambique devido aos baixos preços da matéria-prima, o consórcio estatal International Coal Ventures Limited (ICVL) anunciou esta semana que planeia construir uma central térmica com capacidade inicial de 200 megawatts.

O ICVL protagonizou em 2015 um dos principais negócios em Moçambique ao adquirir por apenas 50 milhões de dólares (45 milhões de euros) as minas de carvão que a australiana Rio Tinto possuía em Tete e pelas quais tinha pago mais de três bilhões de dólares (2,7  bilhões de euros).

Na sua visita à Índia em agosto do ano passado, o Presidente moçambicano afirmou que a sua deslocação permitiu o reforço dos laços de cooperação, apontando a área econômica como a maior aposta entre os dois países.

“O nosso objetivo era reforçar as nossas relações de amizade e cooperação, como forma de aumentar os nossos laços econômicos. Eu acredito que alcançamos esses objetivos”, disse Filipe Nyusi.

Segundo dados divulgados hoje pelo Times of India, um quarto dos investimentos indianos na África Oriental estão aplicados em Moçambique.

O comércio entre os dois países aumentou cinco vezes nos últimos cinco anos e representa atualmente cerca de dois mil milhões de dólares anuais (1,8 bilhões de euros).

A Índia mantém igualmente uma linha de crédito de 640 milhões de dólares (577 milhões de euros) para Moçambique, além de uma outra de dez mil milhões (nove mil milhões de euros) para todo o continente africano, anunciada no III Fórum Índia-África, que se realizou em agosto em Nova Deli.

Na ocasião, o primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, disse que o seu país pretendia focar a candidatura de projetos no âmbito daquela linha de crédito no setor agrícola, abastecimento de água e restruturação dos correios.

Os dois países partilham ainda fortes laços culturais e vive em Moçambique uma expressiva comunidade de origem indiana.

Depois de Moçambique, o primeiro-ministro segue para a África do Sul, tendo ainda previstas visitas à Tanzânia e Quênia.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: