.
em foco...
Angola, Economia

Recadastramento dos funcionários públicos por recolha de dados biométricos em Angola


recadastramento de angola

 

Iniciou-se o processo de recolha  de dados biométricos dos funcionários do Ministério do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, ministro,  indicou que o recadastramento vai permitir melhorar o controle dos efetivos e das despesas e a capacidade de planejamento e gestão dos recursos humanos.
Este processo, segundo o ministro, vai procurar identificar e colocar de forma correta os efetivos quer no processo de nomeação justa, recorrendo a pessoas com melhor capacidade, quer na promoção meritória e tempestiva.
O ministro do Interior foi o primeiro a ser recadastrado. Ângelo da Veiga Tavares disse que outra vantagem do processo é melhorar a gestão das carreiras dos órgãos executivos centrais, a criação de concursos para as promoções, identificando quadros competentes, e permitir um maior rigor na promoção da carreira.

Durante o processo, o funcionário deve apresentar o Bilhete de Identidade aos funcionários, cabendo aos responsáveis dos recursos humanos dos distintos níveis apresentar o despacho de nomeação ou promoção homologado pela entidade competente.
A comissão prevê recadastrar numa primeira fase, só em Luanda, 63.719 funcionários em distintas unidades orgânicas do Ministério do Interior, devendo o processo estender-se para as outras províncias.

O chefe do Centro de Tecnologias de Informação do Ministério das Finanças, Augusto Carvalho, informou que o processo de recadastramento dos funcionários públicos teve início no dia 15 de Setembro de 2015, com os funcionários do  Ministério das Finanças.

Até ao momento, foram cadastrados em todo o país 143.668 funcionários públicos.
Augusto Carvalho disse que durante o processo foram detectados funcionários com Bilhete de Identidade falso que, na devida altura, vão ser entregues à Polícia Nacional para procedimento criminal.

O responsável afirmou existirem funcionários que por motivos de férias e outros por troca do Bilhete de Identidade ainda não foram recadastrados. Informou que 55.127 funcionários públicos não fizeram parte desse processo. Destes, 627 são aposentados, 1.166 doentes, 239 por licença disciplinar e 335  por motivo de formação.
O diretor do Centro de Informação Tecnológica do Ministério das Finanças sublinhou ainda que 13.151 não se recadastraram sem justificação legal, pelo que está a ser feito o processamento de dados para que o possam fazer, ou serem afastados do sistema de acordo com a lei.

http://jornaldeangola.sapo.ao/politica/interior_adverte_funcionarios_exigindo_total_transparencia

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: