.
em foco...
PALOP, Política

Guiné Bissau : Autoridades procuram desalojar Governo cessante

000000000000000000000000000

Três notas marcam a actualidade política na Guiné-Bissau esta segunda-feira : Os membros do Governo demitido continuam no Palácio do Executivo ; elementos da polícia antimotim já se encontram no local ; os membros do Governo de Carlos Correia mantêm-se irredutíveis, e dizem que só abandonam o local à força.

A missão de mediação do Comité Interparlamentar da UEMOA desdobra-se em contactos com as autoridades, e há indicações em como a delegação da ONU em Bissau também tenta aproximar as partes desavindas.

Paralelamente a tudo isso, o líder do PAIGC, partido vencedor das últimas eleições, deu uma conferência de imprensa para voltar a acusar o Presidente guineense de atropelos graves à Constituição do país, com a nomeação do novo Primeiro-ministro.

Domingos Simões Pereira – entre várias acusações e reptos – desafiou o Presidente José Mário Vaz a mostrar públicamente a proposta escrita pelo Partido da Renovação Social a partir da qual autorizou que aquele partido indicasse o nome do Primeiro-ministro.

Ou seja, para o líder do PAIGC, está claro que não foi o PRS quem indicou o nome de Baciro Djá, mas sim o próprio chefe de Estado, que se prepara para instaurar um Governo da sua iniciativa até novas eleições.

http://pt.rfi.fr/guine-bissau/20160530-guine-bissau-continua-tensao-entre-o-paigc-e-o-presidente

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: