.
em foco...
PALOP, Política

Comissão da ONU pede fim imediato do impasse político na Guiné-Bissau


Comissão de Consolidação da Paz na Guiné-Bissau da ONU pede respeito dinheiro para manutenção da força da Cedeao no país.

 

A Comissão para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau das Nações Unidas (PBC) manifestou a sua preocupação com a crise política no país, que, segundo ela, “levou à paralisia institucional e a uma prestação inadequada de serviços sociais e econômicos à população”.

“O impasse político ameaça as expectativas da população, bem como o otimismo e a dinâmica gerados na sequência do processo eleitoral de Abril de 2014, amplamente eleogiado”, escreve aquela entidada numa nota desta segunda-feira, 16, a que a VOA teve acesso

No entendimento da PBC, a instabilidade na Guiné-Bissau “só pode ser ultrapassada com uma clara demonstração de uma vontade política proporcional às aspirações da população em prol da paz e do progresso”.

No atual contexto de incerteza, o PBC diz reconhecer o papel das Forças de Defesa e Segurança, “em particular para impor a ordem constitucional e o respeito pelo Estado de Direito, distanciando-se da arena política”.

A PBC também destaca o papel eficaz de prevenção e dissuasão da Missão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental na Guiné-Bissau (Ecomib).

Neste contexto, “a PBC pretende chamar a atenção dos membros da comunidade internacional para a necessidade urgente de mobilizar recursos e apoio políticos, técnicos e financeiros para garantir a extensão do mandato da Ecomib”, que termina a 30 de Junho.

A Comissão de Consolidação da Paz na Guiné-Bissau das Nações Unidas também apela ao Presidente e aos demais atores políticos para “refletirem sobre as consequências da atual crise política no desenvolvimento econômico e social do país e as oportunidades que a Guiné-Bissau poderá perder se o atual impasse não for resolvido rapidamente”.

Por isso, a PBC reitera a “necessidade urgente de os membros do Governo e líderes de partidos políticos se sobreporem às suas diferenças de modo a colocarem fim à crise actual”.

Neste contexto, a PBC insta também os parceiros da Guiné-Bissau a incentivarem os actores políticos a encontrarem uma solução mutuamente aceitável e duradoura para a crise, respeitando integralmente a Constituição da República.

Na nota, a PBC saúda a nomeação de Modibo Touré ONU para representante especial do secretário-geral da ONU para Guiné-Bissau e expressa o seu apreço pelo trabalho realizado pelo são-tomense Miguel Trovoada.

 

http://www.voaportugues.com/a/onu-impasse-politico-guine-bissau/3333472.html

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: