.
em foco...
PALOP, Política

Moçambique: Mais 900 mil pessoas à espera de assistência alimentar devido à seca

Moçambique: Mais 900 mil pessoas à espera de assistência alimentar devido à seca© Lusa

Mais de 900 mil pessoas das cerca de 1,4 milhões afectadas pela seca em Moçambique precisam de assistência alimentar durante o mês de maio, informou hoje à Lusa fonte do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

 

“O nosso plano, como Governo, abrange cerca de 472 mil pessoas e para o restante número dependemos da ajuda dos nossos parceiros”, disse Paulo Tomás, acrescentando que a logística para a assistência mensal dos afectados está a acarretar elevados custos.

As províncias do centro e do sul de Moçambique são as mais atingidas pela seca e, segundo os dados do INGC, apenas 10% dos camponeses conseguiram ter resultados no primeiro período da época agrícola.

A situação das pessoas afectadas pela seca em Moçambique levou o Governo a decretar em Abril “alerta vermelho”, uma estratégia para dinamizar as acções de assistência às populações e que prevê cerca de 580 milhões de meticais (mais de nove milhões de euros) para reforçar a assistência alimentar, no âmbito do Plano de Contingência.

“A nossa intenção é cobrir todos os afectados”, frisou o porta-voz do INGC, observando que na zona norte a situação está controlada mas ainda exige atenção de todos.

Para fazer face à situação, segundo o INGC, o Governo moçambicano precisa de três mil toneladas de cereais e duas mil toneladas de feijão por mês, uma quantidade de produtos avaliada em 13 milhões de dólares (11 milhões de euros) mensais.

Moçambique é sazonalmente atingido por cheias, fenómeno justificado pela sua localização geográfica, a jusante da maioria das bacias hidrográficas da África Austral, mas o sul do país é afectado por secas prolongadas e que este ano atingem também as províncias da região centro.

Além de Moçambique, a seca afecta vários países da África Austral, tendo levado o Malaui, a Zâmbia e o Zimbabué a declararem o estado de emergência devido à falta de alimentos.

A estiagem, que dura há mais de um ano, afeta ainda a maior potência da região, a África do Sul, que declarou esta seca como a pior dos últimos cem anos.

http://www.expressodasilhas.sapo.cv/mundo/item/48692-mocambique-mais-900-mil-pessoas-a-espera-de-assistencia-alimentar-devido-a-seca

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O Observatório

Este observatório é uma iniciativa do Grupo de Estudos Africanos vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (GEA/IREL-UnB), que busca refletir sobre a vida política, social e econômica da África contemporânea, com destaque para sua inserção internacional. Preocupando-se com o continente marcado pela diversidade, o Grupo de Estudos Africanos, por meio do Observatório, propõe um olhar crítico e compreensivo sobre temas africanos, em suas mais diversas dimensões.
%d blogueiros gostam disto: